11 factos sobre agências matrimoniais que talvez desconheça

Há quem diga que filtram os sapos mascarados de príncipes que andam por por aí e a verdade é que não param de juntar casais. Portugal não é exceção

Tender love

1. Surgiram em finais do século XVIII em Inglaterra. Inicialmente, eram dirigidas por clérigos, estando os planos de casamento muito ligados ao dote dos pretendentes…

2. A primeira agência matrimonial sem ligação à igreja abriu em Londres em 1825, valorizando o matchmaking por classes sociais e económicas. Hoje, são um serviço sério e seguro de marcação de encontros entre pessoas sentimentalmente livres e com potencial para um relacionamento de futuro.

3. São procuradas por ambos os géneros e por pessoas de todas as idades, sempre com um objetivo comum, o de encontrar alguém compatível. Muitas das vezes são bem sucedidas!

4. Em Portugal, esta é uma área de negócio que se impôs apenas em 2003 com a criação da primeira agência matrimonial, a Amore Nostrum, hoje com uma base de dados de mais de 14.000 perfis. Mais recentemente, a empresa deu início ao processo de internacionalização, com a sua primeira abertura em Espanha.

5. Ao contrário dos speed datings e dos sites de encontros, é possível escolher e controlar na totalidade o perfil da pessoa que se vai conhecer, não dando margem a enganos, já que tudo funciona presencialmente.

6. Não é lá muito romântico mas os primeiros encontros acontecem sempre dentro das agências e com o acompanhamento de um profissional responsável, garantindo o sigilo e a confidencialidade de todos os clientes.

7. A procura destes serviços pode ser motivada pela solidão mas não apenas… Muitas das pessoas que a eles recorrem tem uma vida social muito intensa, o que não impede que refiram a inexistência de pessoas correspondentes ao seu ideal nos meios sociais que frequentam.

8. 50% das pessoas que procuram estes serviços estão divorciadas e uma grande percentagem dos solteiros (ainda) sonha com um casamento tradicional pela igreja.

9. Cerca de 30% das pessoas que procuram os serviços de uma agência matrimonial são emigrantes, geralmente homens que, no campo do amor, preferem a mulher portuguesa, privilegiando alguém com o mesmo perfil cultural.

10. No campo do amor, os opostos não se atraem e são inúmeros os estudos que evidenciam o sucesso do casal quando as afinidades prevalecem. Quando se trata de escolher a pessoa ideal para partilhar a vida, o acaso não tem lugar e, nestas agências, todas as variáveis são equacionadas para o alcance de um único objetivo, a união de casais felizes, combatendo as estatísticas que apontam para um número cada vez maior de solitários.

11. Apesar dos facilitismos relacionais da era informática, os negócios das agências matrimoniais presenciais estão em expansão um pouco por toda a Europa. Em França, por exemplo, a Agence Matrimoniale Fidelio, que se anuncia como a empresa «líder em encontros sérios» tem vindo a aumentar a sua presença em várias regiões daquele país. Em Portugal, tal também tem sucedido com a Amore Nostrum, líder de mercado, atualmente com agências abertas em nove cidades do país.

artigo do parceiro:

Comentários